17 dezembro 2011

Não fales

Não ouvi a tua voz, no entanto sussurravam distantes sons dispersos numa tentativa incansável para me alertar para mágoas sem fim.
O teu sorriso partiu, sem se despedir. O brilho do teu olhar esvaneceu sem esperar pelo meu aconchego.
Perdi-te, assim…
Desde então, a escuridão prevalece em nossas vidas perdidas num tempo que nos roubou momentos felicidade e nos somou instantes de tristeza.

Não sei se alguém te vai cuidar como eu cuidei, se te beijar como eu beijei, se te vai amar como eu amei.
Não sei se encontrarás o caminho, sem me teres contigo.
Não sei se foste embora porque eu deixei, se foi porque te magoei.
Não sei se me esperas como amigo ou me arrumarás para sempre em tua mente, como desconhecido.

Calaram-se palavras, beijos, desejos e promessas de anos que eram eternos.
O meu reflexo permanece vazio, á espera que um espaço seja preenchido.

Deixei-te ir…
Sem te prender, sem te amarrar a mim, sem te olhar nos olhos, sem te pegar na mão.
Deixei-te sem quando nem porquê.
Sem verdades nem mentiras.
Sem um todo, sem nada e sem ninguém.

Foi tão fácil de perder, tudo o que foi difícil de construir…

Não quero que fales…
Não preciso das razões, não preciso de te ouvir, de te falar, de te ver…
Não preciso da escuridão que trazes, que contrasta com o brilho da luz que anseio procurar, num outro tempo, num outro lugar.
Não te quero olhar, e saber que te irei odiar.
Não preciso da justificação para o que terminou, que me desfaz lentamente, como estivesse condenado a sofrer eternamente.

Quero-te vazia sem significado, sem coração, sem lágrimas, sem voz.
Quero-te perdida, encontrada em insignificância…
Quero a memória do quase perfeito, do quase feliz, do quase tudo, sem seres nada…
Quero lembrar-te enamorada.
Quero-te somente assim…calada.

(Escrito para todos os que perderam ou abandonaram alguém.
Para todos os que preferem ver-nos caladas.
Pela coragem de deixar ir... Força Tiago)

Texto de Catarina Portela - Blog "A vida é uma peça de teatro".

O Pintor De Sonhos: Poemas

O Pintor De Sonhos: Poemas: Ontem morri Fonte: Google Ontem morri... Mas, não foi como das outras vezes... Ontem morri mesmo... Foi diferente, foi hum...

25 novembro 2011

Não te consigo inventar. ®: sou eu.

Não te consigo inventar. ®: sou eu.: é um poema onde rio um poema onde choro, o poema onde vivo o poema onde morro. um poema tão vazio sou eu.

12 junho 2011

Há tanto tempo!

Hoje as palavras que saíram, não foram as que habitam na alma,
Mas foram as necessárias!
Um encontro inesperado, por mero acaso!
O teu olhar estava triste, não eram sombras, a tristeza era evidente!
Quase um olhar pesado..
Disfarçada a tristeza numa desculpa de cansaço, numa vida sedentária e repetida, mas nesse rosto estava um coração quebrado.
Hesitas, queres falar, mas fechaste, arriscas uma pergunta que não saiu sem mágoa.

Então e tu? Está tudo bem contigo?
A minha resposta teve a mesma hipocrisia da tua:
- Tal como dizes, vamos andando.. Mas sim está tudo bem.. É teu filho? (para um menino que segurava pela mão).
- Sim.
-É bonito, então como te chamas (perguntei ao menino), obtive a devida resposta e comentei que o meu rebento já era bem mais velho.
O tempo passa, pois passa!
Repetiu-se a pergunta, mas está tudo bem?
As respostas foram as mesmas…hesitaste mais uma vez.
Nada ali conseguia esconder a tristeza nos olhares…
Não podia incentivar o assunto, não podia porque um sentimento magoado deve ficar no sítio certo, lá atrás!
No entanto devia falar, mas também acho que não devia…
Lá fomos cada um para o seu lado, cada um para o seu presente e um peso enorme na alma!
Vi de novo uma grande solidão no teu olhar!
Queria dizer o quanto lamento ter-te magoado pelo simples facto de eu existir, tenho muitas coisas que gostava de te dizer, principalmente o quanto avalio o teu sentimento, porque hoje, tenho sobretudo, desilusão dentro de mim.

(Anatomiadoreal 2011)



 .




03 março 2011

Alma!

"Perder -se de si mesmo é quando se perde a alma .."
Alguém sábio disse isto!
Deixar de acreditar no que sempre acreditou, defender as suas causas,
perder-se do que era e deixou de ser...por descrença ou porque se baralhou no caminho.
Já não saber se as suas verdades e certezas, ainda são!
Nem tudo se explica, nem tudo as palavras descrevem ou há solução... não, nem tudo!
Um olhar, um gesto, os sonhos, um pensamento..bocados de felicidade..
Coisas  que a alma entende ! e se a perdes...

Anatomia 2011

Acerca de mim

A minha foto
Portugal
Um mundo de esperança..